fbpx

O que é tráfego pago e como funciona?

O tráfego pago é o que trabalha estratégias com anúncios feitos nas redes sociais, mecanismos de buscas e outros sites de forma paga, levando os visitantes aos sites ou as páginas estratégicas das empresas, como páginas de vendas ou conversão, por exemplo.

Você está começando a investir em anúncios? Ou você quer ter mais clareza sobre o assunto antes de dar seu dinheiro ao Google, Facebook e outros gigantes da tecnologia?

Neste artigo, trazemos o mais importante que você deve saber sobre tráfego pago antes de colocá-lo em prática!

O que é o tráfego pago?

Quando falamos de internet e marketing digital, tráfego pago é toda a audiência de um site ou blog que vem de anúncios veiculados em buscadores (Google, Bing, etc.), redes sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, etc.) ou outros sites (Taboola, Outbrain, etc.).

Isso significa que você paga para que os visitantes cheguem ao seu site.

Embora seja totalmente possível prosperar contando apenas com o crescimento orgânico ou estratégias de SEO (Search Engine Optimization), muitas vezes é necessário investir em publicidade para acelerar esse crescimento.

O melhor de tudo, combinar tráfego pago e orgânico, faz com que você não depende apenas de um canal de aquisição.

Lembrando que os resultados de SEO chegam no médio ou longo prazo, já os de tráfego pago acontecem no curto prazo.

Principais ferramentas de tráfego pago:

  • Google ADS

O Google Ads, anteriormente conhecido como Adwords, é a plataforma de publicidade do Google. O Google Ads permite criar anúncios de pesquisa, display, YouTube, Gmail e Play Store.

Os anúncios de pesquisa são aqueles que aparecem quando você faz uma pesquisa no Google, como na imagem acima.

Os banners no site são os tipos mais populares de anúncios gráficos do Google.

Os outros três (YouTube, Gmail e Play Store) são autoexplicativos: aparecem nesses três lugares.

  • Facebook ADS

O Facebook Ads é o sistema de anúncios da Meta (novo nome dado a empresa Facebook), que inclui diferentes formatos nos diferentes veículos do grupo.

Isso inclui tráfego pago no próprio Facebook, Messenger, Instagram e anúncios que levam a uma conversa no WhatsApp, por exemplo.

Como as pessoas enviam muitas informações de perfil para o Facebook, que por sua vez também analisa milhões de interações, comentários e cliques por segundo, sua plataforma de publicidade sempre foi conhecida por permitir maior personalização.

Dito isso, é possível fazer anúncios super assertivos, como o remarketing para pessoas pessoas que já interagiram com o seu perfil no Instagram ou acessaram o seu site para fechar a venda.

  • Anúncios no Youtube

Não se esqueça que além de assistir no computador ou notebook, cada vez mais pessoas estão assistindo o YouTube em suas smart TVs, então os anúncios nesta plataforma de streaming do Google são exatamente como os anúncios antigos nas principais redes de TV.

  • Instagram ADS

A rede social mais visual do mundo apresenta fotos, vídeos e anúncios. Muitos anúncios.

No entanto, como parte da família Facebook, você já deve ter notado que eles são direcionados aos seus gostos – ou pelo menos o que o algoritmo entende como seus gostos, usando seus cliques, pesquisas, curtidas e comentários.

Em resumo, o Instagram Ads veicula anúncios tanto no feed quanto nos stories da rede social.

Para onde direcionar os anúncios?

Uma vez que têm custos associados, o ideal é que levem ao seu site, uma página de inscrição ou mesmo a uma de venda. Dessa forma, você pode mensurar melhor seus resultados.

E quando iniciar a criação de uma campanha no Facebook Ads ou Google Ads o ideal é configurar o melhor direcionamento possível para a sua persona, considerando idade, gênero, local, interesses e até mesmo hábitos.

Mesmo fazendo um direcionamento detalhado nas ferramentas de anúncos é importante entender que uma página de vendas tem a função de qualificar mais ainda o lead que está entrando em contato com você ou mesmo comprando o seu infoproduto.

Assim você evita menos curiosos e aumenta as chances de conversão.

Tráfego pago na prática

Claro que é possível direcionar os visitantes para a página principal do seu site ou para um post no blog. No entanto, faz mais sentido direcioná-los para uma página de destino ou uma página de vendas.

Se for direcionar o tráfego para o site ou home page é interessante que tenha um formulário de inscrição para receber algo em troca do contato desse lead como um e-book, cheklist, planilhas ou outra ferramenta que seja interessante.

Agora se for direcionar para uma página de vendas é interessante que tenha uma CTA (Call to action) direcionando a pessoa para o seu contato no Whatsapp ou mesmo para finalizar uma compra.

E já quero deixar uma dica, se for dicionar o anúncio para uma página de vendas, evite pontos de fuga, como links para outros páginas, ou deixar habilitado o menu e o rodapé do site que normalmente tem links direcionando para outros lugares.

A forma como você vai criar as campanhas de anúncio e formato que o seu site ou página de vendas devem estar, vai depender muito da sua estratégia digital, por isso é importante pensar e planejar bem antes de executar qualquer coisa.

E se achar melhor você também pode contar com a ajuda de um estrategista digital.